Superando o meu ego com a Verdade
por Sr. Steve Bortignon
País: Austrália



Esta é a história do meu egoísmo que,
entregando-me à ambição incontrolável
de fama e fortuna, quase destruiu
a mim e à minha família;
e de como os livros do mestre Okawa
e a Happy Science me ajudaram
a encontrar a verdadeira felicidade.

O meu pai morreu quando eu tinha dois anos, deixando a minha mãe e três outros irmãos na mais vil pobreza durante a maior parte da minha primeira infância. Eu era o caçula e não tive orientação masculina na adolescência e na maior parte da vida. O meu treinamento profissional em construção foi um desastre. Tendo sido excluído logo no primeiro ano, eu passei muitos anos com um grave complexo de inferioridade. Assim que concluí o meu segundo treinamento, inaugurei firma própria aos dezenove anos de idade.

Embora fosse um homem bom, o meu pai era um fracasso nos negócios e deixou a família com tantas dívidas que eu sentia a necessidade de provar que o filho conseguiria realizar aquilo que o pai foi incapaz de fazer. A raiva pelo meu pai por seus insucessos tomou conta de mim nos 36 anos seguintes. Casado aos 22 e pai de cinco filhos maravilhosos, eu prossegui na luta implacável pela fama e fortuna em diversas atividades. O estresse causado por essa luta incansável me levou a dois colapsos nervosos, um aos 28 anos e outro, aos quarenta.

Na infância e na juventude, eu tinha muito ódio do meu pai, dos meus irmãos e da minha irmã. Costumava culpá-los pelas dificuldades financeiras que tivemos de enfrentar com a morte do meu pai. Nós vivíamos brigando e nos agarrando por causa do fracasso do meu pai na economia e nos negócios. A raiva, a agressão e a violência passaram a ser o meu comportamento normal desde a infância e continuaram na vida adulta.

As minhas palavras ríspidas, o meu péssimo humor, o meu orgulho e o meu complexo de inferioridade causavam muito sofrimento à minha família e a mim mesmo. Aos 28 anos, tive um leve colapso nevoso em virtude da depressão e da falência.

O colapso me obrigou a mudar de carreira e recomeçar. Com a atitude de um trabalhador compulsivo, passei os cinco anos seguintes trabalhando e estudando. Bem-sucedido e muito elogiado como corretor imobiliário e gerente comercial, formei-me em Administração de Empresas. Promovido logo depois, fui o mais jovem gerente-geral de uma imobiliária aos 32 anos de idade.

Esse período de cinco anos, entre os 28 e os 32, foi de muito sucesso na minha vida. No entanto, tendo alcançado fama e fortuna, eu me deixei dominar pelo egoísmo. Todos os venenos do espírito retornaram como uma vingança, particularmente, a ganância e a desconfiança. Esse foi o início da minha queda em espiral.

Eu nunca ficava satisfeito, não fazia outra coisa senão planejar novos artifícios nos negócios e, ao mesmo tempo, comecei a me descuidar da família. O sofrimento não tardou a se manifestar e a dominar cada vez mais a minha existência, tanto que, seis anos depois, aos quarenta anos de idade, eu tive um grave colapso nervoso. Continuei mais cinco anos na minha decadência até que em 2007, sofri um fortíssimo colapso nervoso pela terceira vez na vida.

A minha atividade profissional foi por água abaixo. O meu casamento acabou depois de 33 anos, e o meu relacionamento com os membros da minha família chegou ao fundo do poço. O abuso do álcool e das drogas alcançou novos patamares. As amizades que preferi manter estavam longe de ser ideais, pois eu procurava amigos que tivessem afinidade com o meu procedimento negativo, raivoso e às vezes, violento. Ao me separar da minha mulher, praticamente preso a uma cadeira de rodas, vivendo do seguro-desemprego e bebendo muito, eu comecei a ter tendências suicidas.

Um dia, meu filho me telefonou pedindo para que não arrastasse o resto da família ao abismo na qual eu estava me dirigindo, caso eu estivesse satisfeito com o caminho da autodestruição. No dia seguinte, prostrado na cama, fui obrigado a analisar minha vida e a refletir sobre ela. Perguntei a mim mesmo: “Por que isso tudo está acontecendo comigo? Eu sempre fui um bom provedor, não? Sempre fui bom pai e bom marido, não? Por que estou sofrendo tanto? Por que ninguém mais gosta de mim? Por que Deus me abandonou?” Era urgente encontrar a resposta, caso contrário o pressentimento do meu filho se realizaria e eu acabaria perdendo tudo que tinha de valor. Sempre fui pregador da automotivação nas realizações de outrora, isso me deixava desesperado para deter a minha decadência.

Os médicos, psiquiatras, especialistas e o álcool e as drogas não conseguiam resolver os meus problemas, nem o meu estado de espírito. Eu percebi que precisava encontrar outra solução. Sempre tinha tido interesse pela filosofia budista, por isso, fui à biblioteca do bairro e tomei emprestada A Essência de Buda, do mestre Ryuho Okawa. Esse livro, que explicava a doutrina budista num texto moderno, simples e de leitura fácil, deu respostas ao meu sofrimento. Eu me informei sobre “os Quatro Sofrimentos da vida” e sobre “as Quatro Nobres Verdades” e me dei conta de que estava vivendo uma ilusão. Aprendi que este não é o Mundo Real.

Depois percebi que precisava praticar essa doutrina para eliminar o sofrimento e tomei emprestado o livro do mestre Okawa, As Leis Douradas. Foi o ponto decisivo para mim. Eu senti que havia descoberto um tesouro, literalmente. Esses livros pareciam ter sido colocados nas bibliotecas por um Anjo de Luz da Happy Science. A euforia que senti é indescritível e só se compara a um despertar de proporções copernicanas. Chorando muito, senti que a vida toda eu conhecia aquelas verdades adormecidas. E soube, imediatamente, o que devia fazer. Detectar as causas do meu sofrimento fez com que me sentisse exaltado e, agora, ficasse ansioso por descobrir mais, a fim de me livrar daquelas forças negativas e transformar a minha vida.

Quando esgotei todos os livros do mestre Okawa nas bibliotecas da cidade, entrei em contato com a Happy Science através dos números de telefone nos livros e na sua página da web. Fui convidado a uma reunião dominical e, no mesmo dia, passei a ser membro efetivo. Isso foi muito oportuno, pois um mês depois, tive a felicidade de assistir uma palestra ao vivo do mestre Okawa, em Sidney 1, sua primeira visita à Austrália. Aquele foi o melhor dia da minha vida.

Essa ocasião fortaleceu o meu despertar para os ensinamentos do mestre Okawa, assim como a orientação que recebi do monge, que me nutriu durante essa fase dificílima da minha vida, levandome ao estudo da Verdade e à prática da doutrina da auto-reflexão e da meditação. Essa prática permitiu uma melhor compreensão do meu sofrimento. Eu encontrei as respostas que precisava para transformar a minha vida. Em particular, descobri a principal fonte do ódio que me dominava. Embora, às vezes a duras penas, refletindo sobre a minha vida desde os quatro anos de idade até o presente, percebi que a raiva provinha da aversão que eu cultivava pelo meu falecido pai e de toda uma existência de ódio ao meu irmão, do qual havia me afastado. Resolvi visitar o túmulo do meu pai. Orei e chorei e fiquei com o coração repleto de perdão.

Depois, voltando para casa, telefonei imediatamente para o meu irmão, fiz as pazes com ele e o perdoei. Liguei para o meu outro irmão, que eu havia magoado com o meu ódio e as minhas palavras rudes, e lhe pedi perdão. Houve mais confissões. Eu precisava me reconciliar com a minha esposa e a minha família. Também lhes pedi perdão pelas mágoas que causara. Pouco a pouco, eles aceitaram o meu pedido de desculpas. Senti algumas das feridas que causei cicatrizarem gradualmente e o perdão tomar o lugar do rancor e do ódio. Fazendo as pazes com aqueles que eu havia ofendido, finalmente, fiz as pazes comigo mesmo.

Percebi que, para alcançar a verdadeira felicidade, eu precisava mudar radicalmente o meu modo de pensar e levar à prática a doutrina do mestre Okawa. Graças aos seus livros, como Pensamento Vencedor e Curando a Si Mesmo, consegui curar a minha depressão clínica e já não preciso tomar remédio. Também sarei da insônia crônica de 26 anos, substituindo os comprimidos para dormir e o álcool, pela autorreflexão e meditação noturna e, pela recitação dos meus três livros de orações da Happy Science. Através da meditação e do pensamento positivo, reduzi a dor nas costas e nas pernas, tanto que voltei a trabalhar, agora como pedreiro autônomo. Abri um pequeno negócio, no qual sou o patrão e o único empregado, e tenho uma boa renda. Atualmente, nos fins de semana, passo o tempo livre com a minha família e frequento o cerimonial religioso da Happy Science. Levo uma vida simples de família e estudo, livre de apegos, sem o excesso de bens materiais que tanto tempo e energia me custavam para obter e conservar.

A minha raiva diminuiu muito. Uma calma e uma felicidade eufórica envolveram todo o meu ser, dando-me segurança e a certeza de que agora sou capaz de superar qualquer obstáculo que surgir à minha frente. Por fim, posso amar o meu verdadeiro eu. Acredito que a minha verdadeira natureza de Buda está emergindo e que a minha vida só tem a melhorar.

A culpa e o ódio com que passei lutando tantos anos estão desaparecendo. Com fé no Senhor El Cantare, jurei passar o resto da vida tentando sanar a dor que causei, praticando a doutrina do “amor que se doa” do mestre Okawa. Agora a minha esposa e família, a minha família ampliada, os novos amigos, os parceiros de negócios e todos os outros, me procuram e já não me evitam como no passado.

Com a minha mulher, reconstruí um lar adorável e reavivei o amor que tínhamos quando éramos casados. Recentemente, nós renovamos os nossos votos matrimoniais. Essa mudança afetou toda a família e a minha microempresa prospera. A minha esposa foi muito influenciada pelos benefícios da doutrina do mestre Okawa. Agora ela lê regularmente muitos livros dele, frequenta a sessão de orações, assiste aos filmes e, isso tudo alterou muito o seu estado de espírito. Nós desfrutamos o nosso lar com a nossa família, assim como o nosso compromisso com esta vida e a próxima.

Em seis meses, eu li todos os livros do mestre Okawa traduzidos para o inglês, também participei de seminários e assisti às muitas palestras do mestre Okawa. Estou esperando com ansiedade seu novo livro ser traduzido para o inglês. No futuro, espero ser um palestrante da Happy Science para transmitir a todos a minha experiência e conhecimento.

Agradeço ao mestre Okawa e à Happy Science, a chance de ter me despertado para a Verdade.

“Assim que começou a estudar a doutrina da Happy Science, o meu marido mudou extraordinariamente a sua vida. Agora ele é muito atencioso, carinhoso e tolerante. Antes, estava sempre zangado e se queixava muito, vivia criticando a família. Agora a nossa vida parece melhorar dia a dia. Ele também tem um relacionamento muito melhor com os filhos, está feliz e satisfeito.
Eu também ingressei recentemente na Happy Science, depois de estudar a doutrina e descobrir que ela é um ótimo estilo de vida”
Sra. Susan Bortignon

Histórias de
Experiência de Vida
Revista 193:
“Como Eu Venci o Câncer de Mama”
Revista 193:
Perder Tudo me Levou a Ganhar a Maior Felicidade
Revista 192:
Um a Segunda Chance na Vida Através da Fé
Revista 191:
Da Pura Fé a uma
Vida de Prosperidade
Revista 190:
O Meu Tumor Desapareceu em Apenas Dois Meses
Revista 189:
Três relatos de participantes do retiro: “Os Oito Corretos Caminhos”
Revista 188:
Refletindo Sobre
a Infância

Experiência de Ursula Forster
Revista 187:
Despertando
para a Luz Interior

Experiência de Yuko von Rothkirch
Revista 186:
Acreditar que Seu Caráter Brilhará
Experiência de Miyako Tsuchimine
Revista 185:
Um Acidente Levou-me à Gratidão
Experiência de Kikue Shimokawa
Revista 184:
Minha Luta Contra a Diabetes
Experiência de Alex Paz
Revista 183:
Descobrindo o Verdadeiro Eu
Experiência de Melody Powell
Revista 182:
A Coragem de Viver Criativamente
Experiência de Kayo Hayashi
Revista 181:
Lidando com meu filho rebelde
Experiência de Kayo Hayashi
Revista 180:
Trazendo mudança ao escritório
Experiência de Tomoko Saeki
Revista 179:
À beira do divórcio e de volta
Experiência de Shoko Hasegawa
Revista 178:
A vida é um caderno de exercícios
Experiência de Kaoru Komatsu
Revista 177:
Despertando para o amor que me foi dado
Experiência de Etsuko Maruyama
Revista 176:
Um novo modo de crescer
Experiência de Shigeharu Shimamura
Revista 175:
A adversidade é a maior oportunidade
Experiência de Kaoru Inoue
Revista 174:
Superando o meu ego com a Verdade
Experiência de Steve Bortignon
Revista 173:
Voltarei a vê-lo no céu
Experiência de Yasuyo Sugimoto
Revista 172:
Do fracasso ao successo
Experiência de Robert Lutuwama
   
Templo Happy Science
Rua Domingos de Morais, 1154 - Vila Mariana - SP
Tel: (11) 5088-3800
© Copyright 2009 ~ 2017
51 usuários online