Minha Luta Contra a Diabetes
por Alex Paz,


Graças à prática da meditação
em um templo da Happy Science,
Alex Paz, que descobriu subitamente
que sofria de diabetes, passou de
um estado quase de coma para uma
saúde perfeita em apenas dois meses.
Esta é sua história...

Repentinamente
Diabético aos Trinta Anos
Eu morava em Phoenix, Arizona, quando minha vida sofreu uma grande mudança. Comecei a emagrecer rapidamente; não dormia, sentia sede o tempo todo; a pele de minhas mãos passou a descamar; meu cabelo, a cair. Depois de algum tempo, eu estava tão doente que dormia quase vinte horas por dia. Era difícil trabalhar, difícil ir à escola – tudo era difícil.

Eu sabia que o problema era grave porque foi instantâneo. Perdi 28 quilos em dois meses. Minha família achou melhor eu me mudar para a Flórida para ficar mais perto deles. Sem ter parentes no Arizona, se me acontecesse alguma coisa mais séria, não havia quem tomasse decisões por mim. Quando cheguei à Flórida, eu estava muito doente e magérrimo, meu coração palpitava. Não suportava o calor, até a luz do dia me incomodava.

Por fim, fui ao médico, que diagnosticou diabetes tipo 1. Achei estranho, pois eu sempre tivera boa saúde: corria de seis a oito quilômetros por dia, comia bem, e não havia histórico de diabetes tipo 1 em minha família. Além disso, geralmente a diabetes tipo 1 costuma ser diagnosticada em crianças. Eu já tinha trinta anos quando detectaram a doença.

A Rotina que Curou
Não fiquei deprimido, mas como sempre tinha sido saudável, aquilo foi uma novidade para mim. Mudei muito de aparência com a perda do cabelo, as mãos descamadas e a pele tão fina, desnutrida e com cicatrizes nos lugares em que a pele se rasgava. Yoko, a chefe de minha mãe, frequenta o culto da Happy Science em Tampa, cidade para a qual me mudei. Eu não a conhecia, mas, conversando com minha mãe, ela disse: "Por que você não leva seu filho à Happy Science e vê o que se pode fazer?" Nessa época, eu estava tão mal que não tinha força nem para me levantar da cama, mesmo assim, concordei em ir.

Foi difícil sair de casa, mas decidi ir à reunião. Reconheço que fiquei um pouco desconfiado ao ouvir o nome "Happy Science". Quando cheguei, as pessoas foram afetuosas e sinceras. Em nenhum momento fizeram com que me sentisse doente. Fui tratado como qualquer outro. Fiquei muito inibido por causa da minha aparência, estava tão magro e parecia um bobo entrando lá. No entanto, eles me acolheram imediatamente e não me forçaram a nada. A única coisa que me pediram foi para abrir o coração.

Naquele dia, fiz uma meditação com eles. Eu já tinha o hábito de meditar, mas fiquei impressionado com o tanto que se pode progredir com a meditação na Happy Science. Quando decidi ingressar, recebi os livros de preces*. Estava passando tão mal que tinha dificuldade para sair da cama, mas me impus a rotina de me levantar, injetar a insulina, sentar-me e fazer as preces. Uma a uma, eu lia as orações nos dois livros até chegar ao fim, então voltava imediatamente para a cama. Apesar do cansaço e do mal-estar, toda manhã e toda noite, eu me obrigava a sair da cama, sentar e fazer as preces.

A Saúde Recuperada em Apenas Dois Meses
Aos dom ingos, continuei frequenta ndo as reuniões, as preces e a meditação no templo da Happy Science. Quando fui ao médico, ele disse: "Você já devia ter entrado em coma diabético. Não sei como está aqui na minha frente." Meu nível de glicose era tão alto que nem o aparelho o registrava. Este chega até 600, e o nível de glicose costuma ser de 120. Foi quando eu entendi que m inha vida tinha mudado.

Entendi que quase perdera a vida, por isso me sentei e reavaliei o que era realmente fundamental para mim: as pessoas a que eu dava importância, minhas filosofias, minhas ideias, as coisas verdadeiramente importantes na vida quando a gente esteve a ponto de perdê-la. A diabetes também afeta a vista e, às vezes, eu não conseguia enxergar direito, mas me empenhei em ler cada palavra dos dois livros de preces toda manhã e toda noite antes de ir para a cama. Acredito que essa rotina me fortaleceu. Em poucos meses, recuperei parte do peso e meu cabelo ficou mais denso. O médico me disse que eu podia par ticipar de uma maratona se quisesse, pois estava muito bem de saúde.

Descobrindo a Arte da Felicidade
É muito comum a pessoa entrar em depressão quando adoece, mas se ela mudar de perspectiva e focar algo como os livros de preces, as meditações, escutar as palestras do Mestre Okawa ou pensar no amor, na família, na coragem, seu espírito se revigora, coisa que, por sua vez, robustece o corpo. A insulina também ajudou muito, mas creio que o fortalecimento de meu espírito foi o que mais contribuiu para que meu corpo reagisse. Eu não queria tomar tanto remédio. É provável que fosse melhor tomá-lo, mas não foi preciso. O afeto e a luz das pessoas orando e meditando comigo, na Happy Science, auxiliaram muito a estabilização de minha saúde. Sei que sempre serei diabético, mas em vez de ser controlado pela doença, eu a controlo. Na maior parte dos dias, nem chego a sentir que tenho diabetes porque estou muito melhor. Foi instantâneo. Eu estabilizei a saúde poucos meses depois de entrar na Happy Science.

Seu coração é mais forte do que você imagina. Estou aprendendo o quanto o coração afeta todo o seu ser, a sua vida, as pessoas próximas e as escolhas que você faz. Se você adoecer ou receber a notícia de uma doença, uma morte ou outra coisa terrível, não precisa mergulhar na autocomiseração e se enfurnar em um canto escuro, entregue à depressão. Isso só serve para acelerar o monstro daquilo que você está vivendo. Meditar é aprofundar-se em si mesmo para ser capaz de dar aos outros, independentemente da sua situação atual. Esse tipo de atitude afeta não só a saúde como todos os outros aspectos da vida, inclusive as relações. Combine isso com luz e compreensão, e você terá uma ferramenta poderosa para vencer qualquer adversidade na vida.

Obviamente, a doutrina da Happy Science agora está em mais de seiscentos livros; você os deve ler e estudar um a um, mas, na essência, creio que a mensagem é muito simples: ser bom e ser feliz. Eu estou convencido de que foi isso que me curou.

por Alex Paz

* Os livros de preces da Happy Science, para quem faz a devoção aos Três Tesouros, são:
O Darma do Correto Coração, os Livros de Preces 1 & 2.
 

“ Não é exagero dizer que a melhor maneira de superar uma
depressão consiste em procurar levar alegria aos outros [...]
Como o seu próprio coração está repleto de dor e tristeza, tanto
mais importante é tentar sorrir para os demais. Mesmo que
você não seja feliz nas circunstâncias atuais, empenhe-se em
descobrir a arte da felicidade e em levar alegria aos outros, pois
as pessoas sempre desejam a felicidade. Trilhando esse caminho,
você certamente ficará acima deste período doloroso.”

do Mestre Ryuho Okawa | Guideposts to Happiness [Sinalização para a felicidade], (pag 114)

Histórias de
Experiência de Vida
Revista 193:
“Como Eu Venci o Câncer de Mama”
Revista 193:
Perder Tudo me Levou a Ganhar a Maior Felicidade
Revista 192:
Um a Segunda Chance na Vida Através da Fé
Revista 191:
Da Pura Fé a uma
Vida de Prosperidade
Revista 190:
O Meu Tumor Desapareceu em Apenas Dois Meses
Revista 189:
Três relatos de participantes do retiro: “Os Oito Corretos Caminhos”
Revista 188:
Refletindo Sobre
a Infância

Experiência de Ursula Forster
Revista 187:
Despertando
para a Luz Interior

Experiência de Yuko von Rothkirch
Revista 186:
Acreditar que Seu Caráter Brilhará
Experiência de Miyako Tsuchimine
Revista 185:
Um Acidente Levou-me à Gratidão
Experiência de Kikue Shimokawa
Revista 184:
Minha Luta Contra a Diabetes
Experiência de Alex Paz
Revista 183:
Descobrindo o Verdadeiro Eu
Experiência de Melody Powell
Revista 182:
A Coragem de Viver Criativamente
Experiência de Kayo Hayashi
Revista 181:
Lidando com meu filho rebelde
Experiência de Kayo Hayashi
Revista 180:
Trazendo mudança ao escritório
Experiência de Tomoko Saeki
Revista 179:
À beira do divórcio e de volta
Experiência de Shoko Hasegawa
Revista 178:
A vida é um caderno de exercícios
Experiência de Kaoru Komatsu
Revista 177:
Despertando para o amor que me foi dado
Experiência de Etsuko Maruyama
Revista 176:
Um novo modo de crescer
Experiência de Shigeharu Shimamura
Revista 175:
A adversidade é a maior oportunidade
Experiência de Kaoru Inoue
Revista 174:
Superando o meu ego com a Verdade
Experiência de Steve Bortignon
Revista 173:
Voltarei a vê-lo no céu
Experiência de Yasuyo Sugimoto
Revista 172:
Do fracasso ao successo
Experiência de Robert Lutuwama
   
Templo Happy Science
Rua Domingos de Morais, 1154 - Vila Mariana - SP
Tel: (11) 5088-3800
© Copyright 2009 ~ 2017
38 usuários online