Um Acidente Levou-me à Gratidão
por Kikue Shimokawa,


O Acidente Repentino
Em 2006, quando viajou ao distrito de Tokushima com o marido, a Sra. Shimokawa não imaginava que aquelas “férias” iam mudar sua vida para sempre. Os dois estavam combinando alegremente uma visita aos famosos redemoinhos de Naruto quando o carro foi sacudido por um impacto violentíssimo.
O para-brisa se espedaçou e ela foi atingida pelos de cacos de vidro. Com o canto dos olhos, chegou a ver o marido debruçado no volante. Tentou sair do carro, mas não conseguiu se mexer. Logo depois, perdeu os sentidos...

Ferimentos Equivalentes aos de Seis Pessoas
A Sra. Shimokawa fraturou o lado direito da pelve, seis costelas em oito lugares e ficou com sa ngue acumulado nos pulmões. Também quebrou o joelho esquerdo e o púbis. Os ferimentos eram graves e sua chance de sobreviver ao acidente não chegava a dois por cento.

O médico lhe disse: “A senhora sofreu ferimentos equivalentes aos de seis pessoas.” Era muita sorte ainda estar viva. Ficou decidido que ela ficaria internada em Tokushima a fim recobrar a força antes de ser transferida a outro hospital para a cirurgia de reconstituição da pelve.

A Dura Realidade
Embora quase não tenha lembrança do acidente, a Sra. Shimokawa recorda um sonho. O Mestre Ryuho Okawa apareceu para ela e disse: “Vou cuidar de você aqui em Tokushima...” A sensação continuou sendo muito real e concreta mesmo quando ela acordou; estava convencida de que o acidente representava uma grande guinada em sua vida.

Mas, uma vez recuperada a consciência, a realidade ficou nítida, e ela se desesperou com a dor e o choque. Um acidente é capaz de nos arrebatar a liberdade física em poucos segundos. A Sra. Shimokawa não estava preparada para aquilo. Quanto mais as pessoas a tratavam com bondade, mais o sofrimento lhe enchia os olhos de lágrimas.

“Nunca mais vou ter uma vida normal ou voltar ao trabalho. Meu sonho de um dia dirigir uma empresa foi por água abaixo”, pensava. Completamente prostrada na cama, ela não fazia senão recordar o tempo em que tinha saúde e era ativa.

Invenções para Inaugurar uma Nova Era
Até o acidente, a Sra. Shimokawa era engenheira de uma multinacional de eletrônica. Dedicava-se a desenvolver sensores de câmera digital.

Nada mais empolgante que desenvolver tecnologia nova e ver seu trabalho levar mudanças reais à sociedade. O que mais a impelia a trabalhar e aperfeiçoar o produto era o desejo de criar coisas úteis que fizessem as pessoas sorrir.

Rapidamente conseguiu projetar e desenvolver chips semicondutores que possibilitaram a comercialização de câmeras digitais. Obteve muitas patentes e ganhou duas vezes o maior prêmio de invenção da empresa, além do Prêmio Nacional de Invenção.

Apesar do sucesso, nunca esqueceu as pessoas cujo trabalho lhe permitia entregar-se a sua paixão. Planejamento, marketing, vendas, design, produção e controle de qualidade: era impressionante o número de profissionais envolvidos na criação de um produto.

Coração Abalado
O desastre acabou com tudo. A Sra. Shimokawa sempre acreditou que a única coisa importante era o resultado, mas sem ele sua existência não tinha o menor sentido. Havia trabalhado muito em um mundo em que o tempo era essencial, mas agora estava jogada em um leito de hospital, tentando sobreviver. Não andava, precisava de morfina para dormir. Chorava todo d ia. Sentindo-se angustiada e frustrada, ela pensava: “Eu trabalhei tanto, por que tenho de passar por isso? O que fiz de errado?

Apoio de Muitas Pessoas
Sua única consolação eram os amigos e colegas que vinham de Tóquio para visitá-la. O diretor do templo de Shikoku Shoshinkan também viajou para vê-la e orar por ela.

Porém, mais do que tudo, a Sra. Shimokawa sentia gratidão pelo marido, que, milagrosamente, sofrera apenas um ferimento sem gravidade na perna e uma pequena contusão no pescoço. Ela se sentia realmente grata ao marido que toda semana ia de Tóquio, onde trabalhava, a Shikoku para cuidar dela. Sua atenção e esforço abrandavam a ansiedade pelo futuro.

O diretor do templo aconselhou-a a escutar as audiopalestras do Mestre Ryuho Okawa. “Encare Suas palavras como um banho de luz”, disse ao lhe entregar um aparelho portátil com as palestras gravadas. Aind a fraca fisicamente, o máximo que ela conseguia era ouvi-las como música de fundo. Mas estava decidida a retribuir o amor que tanta gente lhe mostrava.

Cerca de um mês depois do acidente, a Sra. Shimokawa recobrou o vigor físico a ponto de enfrentar a cirurgia e foi transferida a um hospital especialmente equipado na cidade de Tokushima.

Na Nossa Próxima Vida
Durante o primeiro diagnóstico, disseram-lhe que ela estaria inteiramente recuperada dentro de três meses, mas houve complicações. A operação a que ia se submeter era arriscadíssima. Se não desse certo, poderia lhe custar a vida. Na véspera da cirurgia, ela se preparou para a possibilidade de estar com o marido pela última vez.

“Eu vou sair viva.” Era o que sentia, mas ela lhe disse: “Vamos ser marido e mulher outra vez na nossa próxima vida e até mesmo na seguinte...”. Foi com os olhos cheios de lágrimas que o casal se despediu.

No dia seguinte, a Sra. Shimokawa foi levada à sala de operação. Muitos amigos rezaram pelo seu restabelecimento. A cirurgia durou oito longas horas, mas foi um sucesso.

“Eu ainda estou viva. O Senhor me conservou viva! Ainda tenho uma missão a cumprir nesta vida...”. Brotaram-lhe lágrimas quando o sentimento de gratidão por estar viva cresceu dentro dela.

Lapidar a Alma
Depois da operação, a Sra. Shimokawa passou um mês de cama. Pensava que podia andar, mas a realidade traiu-a mais uma vez. Ainda faltava passar por um penoso regime de reabilitação.

Desde sua transferência para o hospital na cidade, ela começou a escutar seriamente as palestras do Mestre Okawa. Uma noite, tendo acordado com dores por causa da fisioterapia, ouviu a voz dele no ouvido:

Embora pareça que agora você está sofrendo neste mundo, na verdade, trata-se de um período de aprimoramento da alma. Quanto maior a alma, mais rigorosa é a provação que encontra na vida.

Se você acha que está passando por uma grande provação, precisa entender que a sua missão é igualmente grande. Precisa ter consciência de que agora sua alma está sendo lapidada. Você recebeu um livro de exercícios com problemas para o seu desenvolvimento espiritual.

[Excerto de Cumpram a Missão de Luz]

Essas palavras revolucionaram completamente seu modo de ver a situação. Antes do acidente, ela vivia ocupadíssima e com o coração repleto de impaciência: queria trabalhar mais e produzir melhores resultados.

Na primeira vez que acordou em um hospital, chegou a sentir alívio por poder descansar. Talvez seu espírito guardião a tivesse detido antes de conduzi-la a algo mais perigoso. Agora o acidente lhe dava o tão necessário tempo para refletir.

Enquanto eu Viver
No entanto, a fisioterapia era penosa. Orando e chorando, ela perguntava por que Deus lhe destinara uma provação tão difícil? O que ela devia aprender com aquele acidente? Sem parar de chorar, recitou O Darma do Correto Coração, o que a tranquilizou e a fez sentir que conseguiria enfrentar mais um dia de reabilitação. Ajudou-a a pensar: “Não faz mal progredir aos poucos; não tenho por que ficar impaciente. Eu estou viva, e estar viva é uma bênção.”

Pouco a pouco, a Sra. Shimokawa recuperou o controle sobre o corpo. Em breve, teve condições de ser transferida a um hospital de Tóquio. Esforçou-se tanto para conseguir andar o mais depressa possível que chegou a ter tendinite na mão que segurava a bengala. Fazia parte de seu treinamento de imagem imaginar-se andando sem auxílio e retomando o trabalho.

Com a reabilitação, o estímulo de inúmeras pessoas e o poder da prece, seu corpo se recuperou a uma velocidade que surpreendeu o médico. Depois de quatro meses, finalmente teve alta.

Viver Para O Senhor
Foi maravilhoso poder executar as tarefas mais corriqueiras. Ela apreciava a felicidade nas pequenas coisas. Um desejo imenso de ser útil a muita gente começou a crescer dentro dela. De volta ao trabalho, descobriu que já não se contentava com a antiga rotina.

Passou a frequentar os templos da Happy Science em busca de uma nova missão na vida. E, um dia, teve uma clara inspiração: Saiba que você é a encarnação de um milagre.

Ao receber a notícia do recém- fundado Partido da Concretização da Felicidade, a Sra. Shimokawa entendeu que era exatamente isso. Demitiu-se da empresa em que trabalhava havia 27 anos e se candidatou às eleições nacionais de 2009. Sem largar a bengala, arrastando a perna afetada, percorreu toda a sua região para exortar os eleitores a apoiarem políticas capazes de reerguer a economia do país, resolver os problemas previdenciários e inaugurar uma nova era de crescimento. Desde cedo até tarde da noite, andava tanto que chegou a se surpreender.

Não foi eleita, mas as pessoas lhe diziam que era estimulante vê-la caminhar em toda parte com sua bengala.

Ter uma Vida Criativa com Gratidão
Olhando para trás, a Sra. Shimokawa diz: “O acidente me despertou. Eu pensava que o valor da minha existência provinha dos resultados no trabalho, mas a única coisa que pude fazer, quando estava no hospital, foi existir.”

Em comparação com seu antigo modo de pensar, ela diz que mudou muito. Quando estava no fundo da tristeza e da agonia, sentiu o estímulo carinhoso de muitos e o amor do Senhor. “Quando percebi que o Senhor me amava, que me amava mesmo na minha situação desesperadora, senti que eu compreendera a verdadeira fé.”

No hospital, descobriu que podia dar conselhos aos amigos. E, no período que passou imobilizada, conseguia sorrir. “A gente pode dar amor em qualquer situação”, diz.

A Sra. Shimokawa está estudando consultoria e seu sonho é contribuir para a sua região.


Minha gratidão pela vida
“Consegui viver graças a muitas pessoas, por isso quero retr ibuir esse amor à sociedade, transformando meu ap reço em exp ressões de gratidão, eu queria ter uma vida ainda mais criativa.”

pela Sra. Shimokawa

Histórias de
Experiência de Vida
Revista 193:
“Como Eu Venci o Câncer de Mama”
Revista 193:
Perder Tudo me Levou a Ganhar a Maior Felicidade
Revista 192:
Um a Segunda Chance na Vida Através da Fé
Revista 191:
Da Pura Fé a uma
Vida de Prosperidade
Revista 190:
O Meu Tumor Desapareceu em Apenas Dois Meses
Revista 189:
Três relatos de participantes do retiro: “Os Oito Corretos Caminhos”
Revista 188:
Refletindo Sobre
a Infância

Experiência de Ursula Forster
Revista 187:
Despertando
para a Luz Interior

Experiência de Yuko von Rothkirch
Revista 186:
Acreditar que Seu Caráter Brilhará
Experiência de Miyako Tsuchimine
Revista 185:
Um Acidente Levou-me à Gratidão
Experiência de Kikue Shimokawa
Revista 184:
Minha Luta Contra a Diabetes
Experiência de Alex Paz
Revista 183:
Descobrindo o Verdadeiro Eu
Experiência de Melody Powell
Revista 182:
A Coragem de Viver Criativamente
Experiência de Kayo Hayashi
Revista 181:
Lidando com meu filho rebelde
Experiência de Kayo Hayashi
Revista 180:
Trazendo mudança ao escritório
Experiência de Tomoko Saeki
Revista 179:
À beira do divórcio e de volta
Experiência de Shoko Hasegawa
Revista 178:
A vida é um caderno de exercícios
Experiência de Kaoru Komatsu
Revista 177:
Despertando para o amor que me foi dado
Experiência de Etsuko Maruyama
Revista 176:
Um novo modo de crescer
Experiência de Shigeharu Shimamura
Revista 175:
A adversidade é a maior oportunidade
Experiência de Kaoru Inoue
Revista 174:
Superando o meu ego com a Verdade
Experiência de Steve Bortignon
Revista 173:
Voltarei a vê-lo no céu
Experiência de Yasuyo Sugimoto
Revista 172:
Do fracasso ao successo
Experiência de Robert Lutuwama
   
Templo Happy Science
Rua Domingos de Morais, 1154 - Vila Mariana - SP
Tel: (11) 5088-3800
© Copyright 2009 ~ 2017
38 usuários online