História da Experiência de Vida da Sr. Dinesh Kumar
Perder Tudo me Levou a Ganhar a Maior Felicidade




Em agosto de 2005, minha empresa de
processamento de grãos ruiu sob o peso
um prejuízo de 32 milhões de rupias
(aproximadamente 11 milhões de reais)
quando o meu comprador desapareceu repentinamente
sem pagar o que me devia. Perdi tudo.

Em 2001, logo depois de me formar, eu havia ingressado no ramo de compra e processamento de feijão a ser exportado para Bangladesh. Era um excelente negócio, e eu não tardei a expandi-lo construindo uma segunda fábrica em 2002, a terceira em 2003 e a quarta em 2004. O gráfico de vendas apresentava uma curva ascendente constante.

Em 2001, logo depois de me formar, eu havia ingressado no ramo de compra e processamento de feijão a ser exportado para Bangladesh. Era um excelente negócio, e eu não tardei a expandi-lo construindo uma segunda fábrica em 2002, a terceira em 2003 e a quarta em 2004. O gráfico de vendas apresentava uma curva ascendente constante.

Mas a minha sorte mudou muito em 2005. Em junho, meu comprador atrasou o pagamento. Achei que o problema não fosse durar muito, que em breve ele faria o pagamento como de costume. Aguardei, mas, agosto chegou ao fim e nada aconteceu. O atraso me impedia de pagar meus fornecedores e empregados. Sem poder esperar mais, tratei de viajar a Bangladesh para conversar diretamente com o comprador.

Ao chegar, encontrei um escritório deserto, abandonado fazia muito tempo. Incrédulo e perplexo, eu quase desabei, foi como levar uma marretada na cabeça. E ainda estava atordoado quando retornei para dar a notícia terrível que eu mesmo não conseguira aceitar.

“O dinheiro não vai entrar nunca mais...”.
No momento em que pronunciei essas palavras, a emoção me dominou e eu caí no chão, chorando.

Os meus familiares fizeram o possível para me animar e mitigar a minha dor. “A final, não foi no jogo que você perdeu dinheiro. O seu trabalho era honesto. Você sempre poderá tentar outra vez”, disseram. Mas, para saldar as minhas dívidas, fui obrigado a vender todas as fábricas e a dispensar todos os empregados. Suas palavras amáveis de nada ser viram para impedir a drástica mudança no meu estilo de vida quando passei de empresário a desempregado, a nossa refeição se reduziu a uma por dia, eu tive de tirar meus filhos da escola e de cancelar o casamento da minha irmã caçula. O pior era pensar na situação de meus ex-empregados e suas famílias. O remorso, o desespero e a autocensura me dilaceravam o coração, e eu não cessava de lhes pedir perdão em silêncio. Sem energia nem vontade de fazer o que quer que fosse, não demorei a adoecer; uma febre alta fez-me passar dois meses de cama. Mesmo depois de melhorar e deixar o leito, continuei mergulhado na depressão e passava dias e dias sem conseguir falar com absolutamente ninguém.

Partindo para um Recomeço
Mas eu tinha uma família para sustentar. Com muito esforço, arranjei emprego em um hotel de Bodh Gaya que, aliás, era administrado por uma missionária voluntária da Happy Science, Yuki Inoue, e seu marido, Sudama Kumar.

A Sra. Inoue foi uma grande amiga desde o primeiro dia. Sentindo que podia confiar nela, comecei, pouco a pouco, a lhe falar sobre minha família, sobre minha empresa e no remorso que eu continuava sentindo. Ela me ouviu com atenção. Depois me falou sobre sua fé.

"Desde o tempo de escola, eu estudo os ensinamentos do coração na Happy Science. Se você estudar essa doutrina, vai saber o que é a verdadeira felicidade. Vai conhecer uma felicidade capaz de suportar tudo." Então, ela me deu um livro.

Happy Science? Senhor El Cantare? Essa s palavras novas me deixaram surpreso, mas eu fiquei interessado e levei o livro para minha casa. O que encontrei ao lê-lo deixou- me fascinado. Os ensinamentos a respeito do amor me afetaram muito: que o verdadeiro amor é algo que se dá sem esperar nada em troca; que a quantidade de amor que você insiste em dar é a medida da sua felicidade; e que o amor é algo que se dá constantemente, pouco importam a s circunstâncias.

As palavras tocaram algo que eu trazia no fundo do coração, algo que havia passado muito tempo sepultado e esquecido. Compreendendo que era na Happy Science que eu podia reencontrar o meu verdadeiro eu, decidi ingressar. Tendo deixado o hotel, passei a trabalhar no estabelecimento de ensino dirigido pela Sra. Inoue. Agora eu era professor de seu Colégio Sur ya Bharti e, orientado e aconselhado por ela, aprofundei minha fé.

O momento decisivo foi a leitura de As Leis do Sol, um livro que revela o mais elevado grau do amor. A maneira como os ensinamentos do amor desvendavam os segredos do mundo convenceu- me de que esse livro só podia ter sido escrito por "Aquele que Despertou". Eu sabia que o Mestre Ryuho Okawa era o Buda renascido. Sendo de u m país com profundas ligações com Buda, senti uma vontade imensa de dedicar a vida a ajudar o Buda renascido em tudo quanto me fosse possível.

A Maior Felicidade
A luz que se acendeu no meu coração transformou-se em uma paixão por disseminar a Verdade. Eu levei essa paixão à prática no colégio em que trabalhava a fim de nutrir as crianças, que são o futuro.

Durante o dia, dava aula de híndi, matemática e sânscrito aos meus alunos, conversava com eles sobre a retidão que nos ensina o Mestre Okawa e acerca do caminho que eles devem trilhar quando vistos a partir da perspectiva da Verdade. Depois da escola, viajava aos povoados vizinhos para projetar filmes ao ar livre, como As Leis do Sol e O Renascimento de Buda, ou para visitar meus alunos em casa e conversar com seus pais a respeito da Verdade. É uma alegria ver que, apesar de suas circunstâncias, que estão longe de ser afortunadas, cada vez mais crianças se propõem a ajudar a família e os vizinhos. Também entrei em contato com pessoas que têm os mesmos problemas que antigamente eu enfrentava no trabalho, mas, quando falo nos ensinamentos tal como estão escritos em O Pensamento Vencedor, todos voltam a se erguer e a se entusiasmar com a vida mais do que antes.

Ao disseminar a Verdade, eu me sinto incomparavelmente mais realizado do que quando dirigia a fábrica. Nada me deixa mais feliz do que divulgar os ensinamentos de Buda e vê-los iluminarem a vida das pessoas.

As Palestras do Mestre Okawa na Índia
Naquele dia de março, em que o Mestre Okawa esteve em Bodh Gaya para nos abençoar com sua palestra, foi a maior alegria que já tive na vida.

Ver o Mestre Okawa soltar sua voz reverberante por todo o pavilhão com mais de 40 mil pessoas foi nada menos que uma grande felicidade. Reforçou em mim a certeza de que o meu desejo é continuar sendo discípulo do Mestre Okawa e viver a alegria de aprender seus ensinamentos em todas as minhas reencarnações, sejam elas quantas forem.

Como ensina o Mestre, uma vez despertados para a alegria de aprender seus ensinamentos, somos nós que devemos compartilhar essa bênção. Vou levar a muitas pessoas a Verdade pregada pelo verdadeiro Buda. A nossa luta em Bodh Gaya está apenas começando.

por Sr. Dinesh
 
Histórias de
Experiência de Vida
Revista 193:
“Como Eu Venci o Câncer de Mama”
Revista 193:
Perder Tudo me Levou a Ganhar a Maior Felicidade
Revista 192:
Um a Segunda Chance na Vida Através da Fé
Revista 191:
Da Pura Fé a uma
Vida de Prosperidade
Revista 190:
O Meu Tumor Desapareceu em Apenas Dois Meses
Revista 189:
Três relatos de participantes do retiro: “Os Oito Corretos Caminhos”
Revista 188:
Refletindo Sobre
a Infância

Experiência de Ursula Forster
Revista 187:
Despertando
para a Luz Interior

Experiência de Yuko von Rothkirch
Revista 186:
Acreditar que Seu Caráter Brilhará
Experiência de Miyako Tsuchimine
Revista 185:
Um Acidente Levou-me à Gratidão
Experiência de Kikue Shimokawa
Revista 184:
Minha Luta Contra a Diabetes
Experiência de Alex Paz
Revista 183:
Descobrindo o Verdadeiro Eu
Experiência de Melody Powell
Revista 182:
A Coragem de Viver Criativamente
Experiência de Kayo Hayashi
Revista 181:
Lidando com meu filho rebelde
Experiência de Kayo Hayashi
Revista 180:
Trazendo mudança ao escritório
Experiência de Tomoko Saeki
Revista 179:
À beira do divórcio e de volta
Experiência de Shoko Hasegawa
Revista 178:
A vida é um caderno de exercícios
Experiência de Kaoru Komatsu
Revista 177:
Despertando para o amor que me foi dado
Experiência de Etsuko Maruyama
Revista 176:
Um novo modo de crescer
Experiência de Shigeharu Shimamura
Revista 175:
A adversidade é a maior oportunidade
Experiência de Kaoru Inoue
Revista 174:
Superando o meu ego com a Verdade
Experiência de Steve Bortignon
Revista 173:
Voltarei a vê-lo no céu
Experiência de Yasuyo Sugimoto
Revista 172:
Do fracasso ao successo
Experiência de Robert Lutuwama
   
Templo Happy Science
Rua Domingos de Morais, 1154 - Vila Mariana - SP
Tel: (11) 5088-3800
© Copyright 2009 ~ 2017
38 usuários online