Tema em Foco - Pelo Mestre Ryuho Okawa
Como vencer a doença

Revista Happy Science
Ciência da Felicidade - Edição 162
1. Porque adoecemos?
Desde o tempo de Buda Shakyamuni, a doença faz parte dos Quatro Sofrimentos pregados no budismo: nascimento, envelhecimento, doença e morte. Os sofrimentos que enfrentamos no momento do nascimento, no processo de envelhecimento, durante a doença e na hora da morte são considerados inevitáveis para um ser humano.

A doença já existia no tempo de Buda Shakyamuni e continua existindo 2.500 anos depois. Naquele tempo, as pessoas sofriam de enfermidades como subnutrição, a intoxicação alimentar, a disenteria, o tétano e as picadas de cobras e insetos peçonhentos. Na nossa era, porém, há muitas doenças complexas que não existiam na Índia de então, como câncer, a hipertensão, a leucemia, os transtornos mentais, o herpes e a Aids. Além delas, o número de doenças raras e incuráveis parece não ter fim.

Nunca na história houve uma época livre de moléstias. Aliás, elas não fazem senão se diversificar à medida que a civilização se desenvolve. Parece até que a própria doença se prospera como se beneficiasse da civilização. O avanço da medicina está possibilitando identificar a causa ade várias enfermidades, mas é como se a doença contra-atacasse tomando novas formas.

È um erro pensar que Deus cria as doenças. Deus não é cruel e inclemente a ponto de mandar males novos, um após outro, toda vez que se encontra a cura de uma enfermidade grave.

Na verdade, quem cria a doença é o próprio coração humano. É a energia do pensamento desarmonioso da nossa mente que cria a doença. E a prova está na diversificação cada vez maior das doença, na mesma proporção em que os problemas humanos e a sociedade vão se tornando mais complexos.

Em vez de dizer que a moléstia sempre existiu na história, o mais correto é dizer que os seres humanos nunca deixaram de ter pensamentos desarmoniosos que produzem doenças.

2. Os Mistérios da Energia Mental
Antes de discutir a causa das enfermidades e o modo de superá-las, convém explicar os mistérios da energia mental que os seres humanos possuem.

Nós usamos as mãos para criar muitas coisas, desde fritar um ovo até moldar a argila. Todavia, a energia mental produzida pelas nossas ações psíquicas tem mais poder de criação do que as nossas mãos.

Com a visão espiritual, seria possível enxergar infinidades de criações mentais das pessoas vagando pela atmosfera. No mundo espiritual, há muitas criaturas, antes inexistentes, mas que foram geradas a partir da energia mental humana. Por exemplo, os monstros são frutos de tais criações. Deus só criou espíritos sadios, sejam humanos, sejam animais, contudo, a partir de certo ponto, essas criaturas monstruosas começaram a habitar a quarta dimensão do Mundo Real, assustando as pessoas que vivem na terra.

Inicialmente, as criaturas do mundo espiritual, como esses monstros ou seres sobrenaturais, eram espíritos animais ou humanos. Entretanto, cresceram e adquiriram poderes sobrenaturais absorvendo a energia mental emanada pelo medo das pessoas que vivem na Terra.

Trocando em miúdos, a força motriz do inferno - onde a luz de Deus não incide - provem dos pensamentos destrutivos e negativos produzidos pelas pessoas da Terra. Aos olhos de quem está no reino celestial, é como se subisse da terra, fumaça de diferentes cores, uma para cada tipo de energia mental: ódio, lamentação, ciúme, mágoa, raiva, preguiça, vaidade, luxúria, maledicência, crítica, ambição por dinheiro, sofrimento e tristeza. A pessoa que vive cheia de ódio solta da parte posterior da cabeça uma fumaça negra e avermelhada. A lamentação resulta numa fumaça acinzentada; o ciúme, numa verde-escura. O desejo sexual gera uma fumaça rosada, e a ambição por dinheiro e objetos solta uma marrom-escura.

A fumaça de um indivíduo se agrupa com a dos outros da mesma cor, formando densas massas de nuvem. Uma grande quantidade de energia mental criada pela raiva e o ódio, por exemplo, passa a ser fonte de energia de violência e destruição para os espíritos do reino Ashura* no inferno.

Do mesmo modo, fumaças esverdeadas e sem vida saem da nuca das pessoas que sofrem uma enfermidade e juntas formam um denso bloco de nuvens pálidas. Na verdade, essas nuvens formam um bloco de energias negativas da doença.

Tais energias flutuam no ar, e se pessoas cuja a mente tem uma vibração perturbada passa por baixo delas, as nuvens lhe enviam uma carga energética doentia. É assim que a pessoa saudável, que nunca adoeceu, fica subitamente enferma. Trata-se do resultado da absorção mental de muita energia doentia. Por isso deve-se procurar a causa da moléstia na mente do próprio enfermo.

*O Reino Ashura, também conhecido como Inferno da Discórdia, é um dos reinos do inferno, cuja habitantes só conhecem o antagonismo e a destruição. Ver o livro "As leis do Sol".


3. O poder da fé
Eu disse que a moléstia é criada pela energia de pensamento negativo dos seres humanos. Se essa energia é negativa, o poder capaz de susta-la tem de ser uma energia mental positiva.

Ora, qual é esse poder positivo ou energia mental positiva?
É o poder da correta fé. A religião tem sido associada à cura de doenças, muitas moléstias foram realmente curadas ao longo do tempo. Isso porque a enfermidade, uma manifestação de energia mental da doença criada pelo nosso pensamento negativo, é destroçada pela energia mental positiva, que é o poder da correta fé.

Se você tiver a fé correta, o seu coração se purifica e se enche de luz. Essa luz não vem de fora, brilha por dentro. Isso porque a natureza divina que há em você recupera o seu verdadeiro brilho. Quando essa natureza divina interior começa a brilhar, uma luz no mundo celestial vai lhe corresponder. É a grande iluminação da força alheia e a luz dos seus espíritos guardião e guia.

Desse modo, a luz interior e a luz da força alheia se sintonizam como lanternas que iluminam as noites de temporal. Eis o seu primeiro passo rumo à salvação.

O poder da correta fé ou o poder da crença em Deus é uma energia mental poderosíssima. Quando a pessoa ora a Deus, uma coluna de luz se ergue na sua nuca e sobe até o mundo celestial. É simplesmente divina a cena em que a energia mental positiva dos espíritos guardião e guia desce por essa coluna luminosa. Quando a energia luminosa entra no corpo de um doente, expulsa e demônio da doença.


4. Corrigindo a rota da sua vida
Mas não se preocupe tanto assim com a cura. Se você insistir muito no desejo de superar a doença, acaba originando um apego que há de trazer um novo sofrimento.

A enfermidade é causada pelos pensamentos negativos que, por sua vez, atraem maus espíritos sintonizados por semelhantes vibrações. Em conseqüência, na maioria das vezes, tais espíritos se apossam do doente, e a moléstia piora.

Nesses casos, não basta recorrer a um médium para expulsar os espíritos. A causa da possessão está na pessoa, portanto, é preciso ela própria se conscientizar e eliminar a causa. Sem isso, a simples expulsão dos maus espíritos é um paliativo.

Não conceba a doença meramente como um acontecimento negativo, e sim como uma oportunidade oferecida pelo céu de refletir sobre a sua vida; um sinal para despertá-lo. Reveja a vida segundo o lema, "Faça uma reflexão da vida em tempos de enfermidade". Verifique se você cometeu erros em algum ponto da existência, nos relacionamentos, no trabalho, na maneira de pensar ou na sua filosofia de vida. Veja se não foi egoísta. Averigúe quanto o amor tem dado. Investigue se você valoriza a harmonia na vida e se sempre trabalhou para se aprimorar.

É bem provável que as pessoas doentes sejam egocêntricas, autocentradas, ou que tenham vivido com um coração negro. Conceba a doença como uma oportunidade precisos de praticar o espírito de "aprender nas derrotas", e de ter coragem de corrigir o seu modo de viver. Continue avançando e valorize esse sentimento que é muito importante.

 
Pontos de revisão

1- Sempre existiu doença na história porque seres humanos sempre tiveram pensamentos desarmoniosos que produzem doença

2- É um erro pensar que Deus cria as enfermidades. Na verdade, é a energia do pensamento desarmonioso de nossa mente que as criam

3- A energia de pensamento produzida pelos mecanismos na nossa mente tem poder de criação

4- A pessoa com a mente perturbada, atrai e absorve energia de pensamento doentia. Portanto, a causa da moléstia está na sua própria mente.

5- A doença, uma manifestação da nossa energia de pensamento negativa, é destroçada pela energia positiva, o poder da correta fé.

6- Com a correta fé, a mente se purifica e se enche de luz. A luz brilha por dentro, e a Luz Celestial lhe responde.

7- Não se preocupe constantemente com o desejo de superar a enfermidade, isso cria um apego que causa novo sofrimento.

8- Não conceba a doença como um acontecimento negativo, e sim como uma oportunidade oferecida pelo Céu de refletir um sinal para despertá-lo.

Reflexão
Verifique quanto amor você tem dado. Pense no que pode dar para os outros ou pelos outros.
Pergunte se você valoriza suficientemente o que lhe foi dado. Já pensou que a sua vida lhe foi dada por Deus?

 
(Texto da revista Ciência da Felicidade edição 162 - Mais Informações: Clique Aqui)
Índice
Revista 194:
A Verdadeira Causa do Câncer
Revista 193:
Visita do Mestre à Índia e ao Nepal
Revista 192:
O Caminho para a Saúde Perfeita
Revista 191:
Como Cultivar a Prosperidade
Revista 190:
Ciclo de Palestras do Mestre no Brasil
Revista 189:
Os Métodos de Autoreflexão
Revista 188:
Provações e Independência da Criança
Revista 187:
Seja Infinitamente Amável
Revista 186:
A Maturidade Espiritual
Revista 185:
Sinta o Milagre
Revista 184:
O Caminho da Saúde Definitiva
Revista 183:
Enfrentando os Mares Turbulentos do Destino
Revista 182:
Atrair Novas Ideias & Aprender no Trabalho
Revista 181:
Encontrar a Felicidade na sua Família
Revista 180:
Viver Criativamente
Revista 179:
Utopia no Coração
Revista 178:
Adquirindo uma Consciência mais Elevada
Revista 177:
Os Estágios do Desenvolvimento do Amor
Revista 176:
O Caminho do Sucesso
Revista 175:
Enfrentando a Depressão
Revista 174:
Gestão Baseada no Tempo
Revista 173:
Viver para Amar
Parte 2
Revista 172:
Viver para Amar
Parte 1
Revista 163:
Como superar o Perfeccionismo
Revista 162:
Como vencer a doença
Revista - Maio de 1997
Sinalização para a Felicidade - Parte II
Revista - Abril de 1997
As Circunstâncias Espirituais de uma Guerra
Revista - Abril de 1997
Sinalização para a Felicidade - Parte I
Revista - Março de 1997
Como evitar espíritos obsessores
Revista - Março de 1997
O Prelúdio da Nova Era
Revista - Janeiro de 1997
O Correto Conhecimento do Mundo Espiritual
Revista - Janeiro de 1997
Um Dia, Uma Vida
   
Templo Happy Science
Rua Domingos de Morais, 1154 - Vila Mariana - SP
Tel: (11) 5088-3800
© Copyright 2009 ~ 2017
54 usuários online