Tema em Foco - Ensinamentos do Mestre Ryuho Okawa
Trechos do capítulo dois: as ideias e o seu trabalho do livro "The Laws of Creation"
 
Atrair Novas Ideias & Aprender no Trabalho
 

Revista Happy Science
Ciência da Felicidade - Edição 182

A paixão imensa é um
ímã para as ideias

Permita-me agora tratar de um tema um pouco menos batido quando se trata de ideias. Eu expliquei que as ideias surgem quando estamos viajando, dormindo, quando estamos no banheiro, ou passeando, ou num café ou lanchonete. O elemento comum a tudo isso é o relaxamento.

Ora, convém notar que, embora as ideias nos ocorram mais facilmente quando estamos relaxados, nós precisamos estar preparados para elas. Para que a inspiração chegue, geralmente a pessoa deve empregar toda a sua capacidade no árduo trabalho de perseguir um objetivo ou crescimento. Não esqueça que o esforço pessoal é o prerrequisito da inspiração.

Não ocorre ideia nenhuma a quem só quer saber de sombra e água fresca. É mais provável ter uma ideia quando você está descansando do dia a dia, especialmente depois de ter procurado muito um meio de atingir determinada meta.

Por isso é bom entender a importância desse passo preliminar. Para que as ideias venham, é necessário ter uma paixão, um desejo imenso de encontrá-las. A mente gera muitas grandes ideias quando a necessidade é urgente.

Por exemplo, os empresários enfrentam constantemente situações que exigem solução, de modo que não fazem senão pensar. Entra dia, sai dia, eles pensam para produzir ideias e tomar decisões. Portanto, os elementos necessidade e forte desejo são indispensáveis na criação de ideias.

 
“Para que as ideias venham, é necessário ter uma
paixão, um desejo imenso de encontrá-las.
A mente gera muitas grandes ideias quando a necessidade é urgente.”
 

Konosuke Matsushita, o fundador da Panasonic, ficou famoso por ter dito: “Sem o desejo ardente de subir, a humanidade nunca teria inventado a escada de mão nem construído a primeira escadaria. Foi imprescindível a necessidade premente de subir, o desejo de chegar ao telhado, e esse desejo foi o catalisador do processo de invenção, sem o qual continuaríamos vivendo em casa térrea.”

Logo, é claro que quem tem um desejo urgente gera uma grande quantidade de ideias. Por exemplo, foi o desejo de ver mais nitidamente as estrelas que levou uma pessoa a inventar o telescópio. Foi o desejo de viajar mais rápida e praticamente pela via Tokaido*, no Japão, que incentivou o trem-bala. Uma vontade semelhante impulsionou a criação da rota de aviões. Assim como o desejo de ir à Lua gerou a invenção do foguete.

Tudo se inicia com alguma paixão. O desejo ardente funciona como um grande ímã que atrai as ideias necessárias à sua realização. Mas, sem esse ponto de atração ou vontade imperiosa de realizar algo, não surge ideia nenhuma.

Por exemplo, se você tiver o desejo ardente de viajar ao exterior, há de se sentir motivado a estudar línguas estrangeiras. E lhe ocorrerão muitas ideias para realizar esse desejo. Contudo, sem o desejo inicial de atingir seu objetivo, nada acontece.

Por isso, quero enfatizar a importância de estar profundamente apaixonado pelos seus objetivos. Não esqueça que as ideias podem surgir quando você estiver relaxado, mas elas são consequência do seu desejo ardente de realizar algo.

 
“Sem o desejo ardente de subir, a humanidade nunca
teria inventado a escada de mão nem construído
a primeira escadaria. Foi imprescindível a necessidade
premente de subir, o desejo de chegar ao telhado, e esse
desejo foi o catalisador do processo de invenção [...]”
 

Isso é o que me leva a esperar que você desenvolva uma paixão poderosa, pois é a paixão poderosa que engendra a invenção. Só se o diretor executivo tiver o desejo ardente de expandir dez vezes a empresa e estiver disposto a investir muito tempo pensando em como atingir essa meta é que ele descobrirá dez, vinte, cinquenta ou até cem soluções. Mas essas ideias não surgirão se ele estiver satisfeito com o status quo.

Até aqui, eu falei principalmente em ideias que têm um ponto de partida positivo. Entretanto, tudo que disse vale para os diretores- executivos cujas empresas estão às voltas com dívidas. As ideias também nascem em situações negativas, por exemplo, quando se buscam meios de amortizar uma dívida. A situação pode não ser positiva, mas os métodos de gerar ideias que expus também se aplicam a este caso.

A Crítica é um Tesouro de Ideias

Seus inimigos são os melhores mestres
Tenho certeza de que não faltam ideias excelentes aos presidentes de pequenas ou médias empresas. Mas eu os exorto a todos a não se esquecerem de ser humildes. Digo isso porque os empresários têm a tendência a ser presunçosos. Muitos começam a olhar os outros de cima para baixo assim que recebem o título de “presidente”, por menor que seja sua empresa. Todavia, esse orgulho atrapalha a geração de boas ideias.

Assim como a água corre dos lugares mais altos para os mais baixos, a informação flui de muitos até aquele que sabe ser modesto. As pessoas se sentem bem ao compartilhar opiniões com quem é humilde. Por isso, os empresários devem ser modestos. Ninguém o alertará para um erro cometido se você for arrogante e pretensioso. Além disso, mesmo que tenham informações capazes de beneficiálo, seus empregados ou sócios não as passarão se você for um sujeito convencido.

Para expandir sua empresa, convém adotar uma atitude de humildade e dar ouvidos ao que os outros dizem. O posto de presidente de empresa é importante, porém mesmo aqueles com funções menos importantes podem opinar sobre quem ocupa o cargo mais elevado.

 
“Assim como a água corre dos lugares mais altos para
os mais baixos, a informação flui de muitos até aquele
que sabe ser modesto. As pessoas se sentem bem ao
compartilhar opiniões com quem é humilde.”
 

O processo de eleição dos presidentes dos Estados Unidos é um bom exemplo. O público geral elege o presidente e, quando discorda do modo como as coisas estão sendo conduzidas, critica-o. As pessoas trocam opiniões sobre a plataforma de cada candidato e falam ou agem diretamente contra esses aspectos. Então o eleitor decide quem escolher com base na avaliação geral dos candidatos ao cargo.

Também é assim no mundo empresarial. Os empregados regulares podem trocar opiniões e criticar o presidente-executivo. Mesmo quem não tem possibilidade de vir a exercer a presidência da empresa pode dar palpite, coisa que, por sua vez, serve de dica útil a seus empregadores.

Se você levar esse atributo de humildade ao nível seguinte, vai compreender que seus inimigos o conhecem muito bem. Na verdade, os inimigos são os seus melhores mestres. Todo negócio enfrenta concorrência. É preciso dar atenção às fraquezas que os concorrentes detectam em você e em sua empresa. Uma vez ciente dessas desvantagens, reflita sobre elas, corrija-as ou aja no sentido de desenvolver suas eventuais vantagens para compensá-las.

Quando eu olho para trás e examino a minha trajetória, vejo que houve muitas ocasiões em que gritaram comigo, repreenderam- me ou me atacaram. Em muitos casos, porém, aquilo que parecia ser um insulto ou uma experiência vergonhosa serviu-me de lição.

Eu lutei e venci a adversidade e a crítica e, ao fazer isso, defendi nossa religião. Mas não me limitei a vencer discussões quando éramos atacados. Sempre levava em conta os argumentos da outra parte e pensava no que fazer para que superássemos nossas fraquezas. Estou ativamente empenhado em não deixar que fiquemos duas vezes vulneráveis ao mesmo ataque.

Portanto, tenham cuidado, pois, nessas situações, é sempre a mente orgulhosa e arrogante do presidente-executivo, envaidecido com sua capacidade de gerar ideias, que entope o cano da ideia.

Use a crítica como um espelho que mostra a sua imagem
Ninguém gosta de concordar ou discordar das ideias de um presidente-executivo. E, como ninguém inspeciona as ideias do chefão máximo, elas arriscam envelhecer e se esgarçar. Por conseguinte, nenhum empresário pode ter esperança de crescimento se não desenvolver a capacidade de receber as críticas e as ideias alheias. Mas os benefícios associados a esse atributo não são exclusividade dos altos executivos. Também se aplicam a artistas, fotógrafos, cantores e a quaisquer outros profissionais autônomos.

Por exemplo, os cantores recebem tanto crítica quanto aplauso. Os críticos dizem com franqueza se sua voz é ruim, se ele desafina ou está longe de ser o mais lindo do mundo. É preciso saber aceitar essa forma de crítica. Há muitos cantores de primeiríssima categoria que não têm necessariamente nenhuma beleza. Eles são populares por causa da voz bonita e se apresentam na televisão independentemente de sua aparência. Através do trabalho árduo, conseguem superar a “desvantagem” de não ser fotogênicos.

Ninguém acha fácil aceitar crítica, seja o presidente de uma empresa ou uma pessoa comum e corrente. Eu sei que é difícil, mas torço para que você procure desenvolver essa capacidade. Sempre que for criticado por alguma coisa, reserve um tempo para refletir sobre o que lhe disseram. Permita que a crítica funcione como um espelho que revela coisas a seu respeito que você não tinha notado. Lembrese de que, às vezes, aqueles que o criticam agem como seus mestres.

Reflita humildemente sobre si quando você falhar
Seja na carreira profissional, seja no caminho na vida, você sempre será criticado. No entanto, também vai conhecer o fracasso na escola e no trabalho. Nessas ocasiões, recorde que o fracasso também é um mestre. Os erros mostram que o status quo não está tão bom assim e que é preciso agir para melhorá-lo. Isso faz com que você também melhore. Sim, o fracasso é um ótimo mestre e merece ser tratado com o devido respeito.

Konosuke Matsushita, o fundador da Panasonic, disse: “Quando os fracassos se sucedem, fica difícil sair dessa situação, mas é preciso dizer uma coisa acerca do perigo de sempre ser bemsucedido. Cuidado quando você tiver sucesso três vezes seguidas. As pessoas tendem a ficar orgulhosas depois do terceiro sucesso, e um grande fracasso as aguarda. É bom falhar uma vez em três.”

Falhar uma vez a cada três sucessos há de iniciá-lo na humildade e de lembrá-lo que você ainda tem muito que aprender. É possível que, em certas ocasiões, tenha um revés que não pode ser chamado objetivamente de fracasso em si. Entretanto, se você souber que podia ter se saído melhor, aceite-o como um fracasso e tenha humildade. Recorde que é importante reconhecer e ser modesto. Crie o hábito de perguntar: “Eu podia ter me feito coisa melhor?” Isso o levará a crescer mais.

 
“Cuidado quando você tiver sucesso três vezes
seguidas. As pessoas tendem a ficar orgulhosas
depois do terceiro sucesso, e um grande fracasso as
aguarda. É bom falhar uma vez em três.”
 

Alguns passam o dia falando em seus triunfos, mas quando o assunto é seus erros, fazem boca-de-siri. Esses correm o perigo de ficar presumidos e deviam passar algum tempo refletindo seriamente sobre sua vida.

Não é necessário cometer erros enormes de propósito para aprender as lições que há para aprender; mas, se as coisas não correrem como você as planejou, reflita sobre o porquê de terem dado no que deram.

Este capítulo ensinou muita coisa, desde como produzir ideias até a atitude profissional correta. Espero que você tenha colhido algumas dicas para gerar ideias.

 


Aqui termina a segunda e última parte
dos extratos de "As Leis da Criação".
(Primeira Parte, clique aqui)
Se você quiser obter um exemplar do livro,
favor entrar em contato conosco.
Clique aqui!

Índice
Revista 194:
A Verdadeira Causa do Câncer
Revista 193:
Visita do Mestre à Índia e ao Nepal
Revista 192:
O Caminho para a Saúde Perfeita
Revista 191:
Como Cultivar a Prosperidade
Revista 190:
Ciclo de Palestras do Mestre no Brasil
Revista 189:
Os Métodos de Autoreflexão
Revista 188:
Provações e Independência da Criança
Revista 187:
Seja Infinitamente Amável
Revista 186:
A Maturidade Espiritual
Revista 185:
Sinta o Milagre
Revista 184:
O Caminho da Saúde Definitiva
Revista 183:
Enfrentando os Mares Turbulentos do Destino
Revista 182:
Atrair Novas Ideias & Aprender no Trabalho
Revista 181:
Encontrar a Felicidade na sua Família
Revista 180:
Viver Criativamente
Revista 179:
Utopia no Coração
Revista 178:
Adquirindo uma Consciência mais Elevada
Revista 177:
Os Estágios do Desenvolvimento do Amor
Revista 176:
O Caminho do Sucesso
Revista 175:
Enfrentando a Depressão
Revista 174:
Gestão Baseada no Tempo
Revista 173:
Viver para Amar
Parte 2
Revista 172:
Viver para Amar
Parte 1
Revista 163:
Como superar o Perfeccionismo
Revista 162:
Como vencer a doença
Revista - Maio de 1997
Sinalização para a Felicidade - Parte II
Revista - Abril de 1997
As Circunstâncias Espirituais de uma Guerra
Revista - Abril de 1997
Sinalização para a Felicidade - Parte I
Revista - Março de 1997
Como evitar espíritos obsessores
Revista - Março de 1997
O Prelúdio da Nova Era
Revista - Janeiro de 1997
O Correto Conhecimento do Mundo Espiritual
Revista - Janeiro de 1997
Um Dia, Uma Vida
   
Templo Happy Science
Rua Domingos de Morais, 1154 - Vila Mariana - SP
Tel: (11) 5088-3800
© Copyright 2009 ~ 2017
53 usuários online