Tema em Foco - Ensinamentos do Mestre Ryuho Okawa
Felicidade -- ajudar os outros -- cultivar uma safra -- aptidões -- força mental
Excerto de As Leis da Prosperidade Capítulo 3
 
Como Cultivar a Prosperidade
Uma vida próspera através do espírito de servir
 

Revista Happy Science
Ciência da Felicidade - Edição 191

A Felicidade Não Pode
Existir Somente para Um

Uma questão que eu gostaria de levantar quando se trata de alcançar a prosperidade é a importância do “espírito de servir”.

Atualmente, muita gente se esquece do altruísmo. Do mesmo modo que muitos descuidam do instinto de fé, não falta quem se esqueça do tipo de existência que nós somos e viva unicamente pensando em si mesmo para satisfazer próprio ego.

Essas pessoas pensam que dedicam a vida somente para serem felizes, mas, infelizmente, elas não percebem que a sua própria felicidade está interligada à felicidade da sociedade como um todo.

Alguns encaram a vida como uma batalha para sempre levar vantagem em relação aos outros. Pensam que, se pegarem uma fatia apenas um pouco maior do bolo, a parte dos outros não encolherá tanto. No entanto, acham que se os outros pegarem um pouco mais, a sua parte vai diminuir. Portanto, tentam pegar o máximo que podem para não levarem desvantagem.

Entretanto, tais pessoas somente conseguem enxergar a metade do que a vida signifi ca e desconhecem a outra parte. Você não poderá obter a felicidade somente para si nesta sociedade terrena. Isso é impossível porque a felicidade das pessoas está estreitamente ligada à felicidade da sociedade como um todo. Quando o resto da sociedade se acha nas profundezas do sofrimento, o indivíduo não tem a menor possibilidade de conhecer uma felicidade duradoura. No entanto, quando toda a sociedade passa por um período de grande prosperidade, o indivíduo pode se benefi ciar disso sem fazer muito esforço. O destino de cada pessoa pode variar, mas, de modo geral, a felicidade ou infelicidade da sociedade está ligada à felicidade ou infelicidade de cada um.

Se as pessoas se preocuparem exclusivamente consigo mesmas, seus interesses acabarão colidindo, produzindo confl ito, competição excessiva, gerando desânimo e fracasso, resultando num mundo de dor. É isso, que no fi m, dá origem ao mal. A origem do mal é simples: ele se deve às pessoas que só sabem pensar em si.

Aqueles que compreendem que a própria felicidade e a felicidade da sociedade são uma só, sabem que a sua felicidade proporcionará um bem-estar à sociedade. Por sua vez, a felicidade da sociedade também lhes proporciona felicidade pessoal, por isso eles são incapazes de praticar o mal. Ao contrário, aqueles que pensam que a própria felicidade só é possível à custa dos outros – como na luta pela fatia maior do bolo, na qual um ganha e o outro perde – são do tipo de pessoas fadadas a trilhar os caminhos do Inferno.

Ajudando os Outros, Ajudamos a Nós Mesmos
Assim, que tipo de vida devemos levar para realizar tanto a nossa felicidade quanto a dos demais?

O fator comum da nossa felicidade pessoal e a dos outros é o altruísmo: é servir. O segredo da prosperidade pessoal e da prosperidade de toda a sociedade é levar a vida tentando contribuir para o mundo e ajudar os demais.

É simplesmente impossível ser feliz sozinho enquanto o resto da nação ou da sociedade não o for. É a mesma coisa que uma pessoa descontente com o salário que recebe desejar a falência da empresa em que trabalha. Ora, se a empresa falir, ela vai perder até mesmo esse salário, por mais baixo que seja.

Não obstante, muita gente se mostra incapaz de entender isso. Seja no âmbito individual, seja no de uma empresa, seja no de qualquer outra instituição, é necessário cultivar o espírito altruísta de servir, procurando auxiliar o máximo de pessoas possível. É através dessa generosidade que se pode harmonizar a felicidade individual com a do grupo.

Um sinônimo de serviço altruísta é “amor”. O amor, quando se expressa em trabalho, transforma-se em serviço altruísta. Se aumentar o número de pessoas de coração generoso, que desejam unicamente ser úteis aos seus semelhantes, através do próprio esforço, nós veremos a criação do Paraíso na Terra. Em outras palavras, essa é a verdadeira forma da prosperidade.

Se considerarmos o que é necessário para alcançar a prosperidade, temos de reconhecer a importância extrema do serviço abnegado. Até mesmo no nosso trabalho individual, nós precisamos levar sempre em conta o que é melhor para a sociedade.

 

“Se aumentar o número de pessoas de coração
generoso e que desejam unicamente ser úteis aos
seus semelhantes, através do próprio esforço, nós
veremos a criação do Paraíso na Terra.”

 

A nossa felicidade pessoal proporcionará felicidade àqueles que vivem a nossa volta, e a felicidade dos outros signifi ca a nossa própria felicidade: essa é a melhor forma de felicidade.

Mais dicas: criação de capital para o sucesso
Outra questão que gostaria de levantar é sobre a importância de se possuir capital para ser bem-sucedido.

O Capital do Sucesso:
assim como o broto cresce e fl oresce a partir de um bulbo ou o talo brota da nutrição concentrada da batata-doce, assim também germina o sucesso a partir do capital. Todos precisamos trabalhar esforçadamente para criar esse capital.

Poupando seu próprio dinheiro:
para iniciar uma empresa, você precisa de capital. Precisa de dinheiro, e não vale a pena tomá-lo emprestado de outrem; pelo menos uma parte dele deve ser sua. Quem não valoriza o dinheiro difi cilmente avança na vida.

Para saber se um negócio terá sucesso ou não, basta averiguar se o proprietário, que teve um negócio semelhante, trabalhou arduamente para ganhar o dinheiro que possui, se economizou parte dele e se essa poupança cresceu ano após ano.

Por outro lado, quem depende de empréstimos e faz compras com o cartão de crédito antes de ganhar o sufi ciente para pagar a despesa, sentirá difi culdades em obter sucesso. Esse tipo de pessoa precisa primeiro aprender o hábito de poupar. Aqueles que não têm vontade de formar um capital próprio, difi cilmente serão bem-sucedidos, mesmo que abram uma empresa.

 

“No futuro, o conhecimento será um tipo
de negócio. Do mesmo modo que a terra fértil
produz boa safra, o conhecimento será como um
campo do qual será possível colher muitos lucros.”

 

O Acúmulo de Conhecimento:
outra forma importante de capital no qual se baseia os negócios é a “sabedoria”. Nem é preciso falar sobre a importância do conhecimento.

Hoje em dia, não é difícil possuir uma enciclopédia, e muita gente a possui. Ao ler uma enciclopédia, podemos aprender coisas que nem o maior gênio teria imaginado cem anos atrás. Ela está repleta de conhecimento que nenhum gênio do passado podia ter. Assim é a época em que vivemos.

No futuro, o conhecimento será um negócio. Do mesmo modo que a terra fértil produz boa safra, o conhecimento será um campo do qual será possível colher muitos lucros.

O conhecimento é um ativo valiosíssimo, e nós devemos obter o máximo de informação importante e útil. Tomando como exemplo a administração de uma empresa, digamos que você está diante de um problema e não sabe o que fazer. Toma uma decisão, mas uma decisão errada e, assim, acaba em situação pior ainda. No entanto, talvez haja um livro de administração de empresas que você começou a ler outrora, mas não terminou, e justamente na parte que não leu está a resposta para o seu problema atual. Quando se trata de administração de empresas, são muitas as coisas que não se pode entender sem um conhecimento especial. Quem sabe a resposta não erra, mas quem não sabe, acaba fazendo uma avaliação amadorística da situação e arrisca errar.

Porém, muitos problemas que o empresário enfrenta já foram vividos por outros, e quem estuda o que eles escreveram consegue superar as difi culdades sem cometer erros. Este é um ponto importantíssimo.

Aprimorar as Aptidões:
As aptidões são outra forma de capital.

O conhecimento é decisivo para quem trabalha intelectualmente, mas muitas outras pessoas vivem de suas aptidões, técnicas, habilidades ou capacidades. Por isso digo que as aptidões são outra forma de capital.

Manter-se em forma:
Outra forma relevante de capital é a força física. No mundo há trabalho de todos os tipos, mas, sem vigor, ninguém tem sucesso em nenhum deles.

Embora o estudante precise estudar o máximo possível, se não tiver certa quantidade de força física, ele não consegue executar um bom trabalho em um prolongado período de anos. A força física é uma forma de capital, um ativo importante, e vale a pena reservar tempo para construí-la.

A força física é difícil de conservar, por mais que a gente tente, ela não tarda a se exaurir. Quando isso acontece, é preciso trabalhar para recriá-la.

Força mental:
Ser mentalmente forte é outro ativo. Mesmo que tenha conhecimento e vigor, sem força de vontade a pessoa não impressiona muito e não consegue ter grande sucesso. Pode ser um ótimo aluno e tirar nota máxima em todas as matérias, mas se ele for do tipo bitolado ou fanático, doentio, como se já estivesse com os pés na cova, do tipo quase parando, não terá sucesso. Comparado com ele, aquele que tira notas sufi cientes para aprovação, mas que está em forma e cheio de vitalidade, tem muito mais chance de ser bem-sucedido. É o que mostram as estatísticas. Por isso, ser meramente bom nos estudos não basta – é preciso também ser mentalmente forte. Até certo ponto, a capacidade mental, a vitalidade e o desejo positivo de sucesso compensam a falta de inteligência.

Toda manhã, ao sair da cama, devemos dizer a nós mesmos que vamos fazer o possível para progredir mais do que no dia anterior, trabalhar melhor, ainda que só um pouco, aprender mais uma linha do texto ou fazer algo diferente a fi m de avançar mais um passo. Quem pensa assim desenvolve um ímpeto que o leva ao sucesso. É como gerar eletricidade própria. Isso também é questão de hábito.

O importante é aprender a construir a coragem e tornar-se motivado. Quanto mais cansado estiver, mais determinação você deve ter de fazer o máximo possível. Se você disser: “Hoje eu estou cansado demais para fazer qualquer coisa”, esse será um dia totalmente perdido. Nessas ocasiões, é preciso olhar no espelho, sorrir e dizer: “Vou tirar o máximo possível do dia de hoje!”

 

“O trabalho não é uma coisa que só fazemos
quando nos sentimos bem. Aquilo que você
consegue realizar quando está na pior condição
é a medida da sua verdadeira capacidade.”

 

A nossa força é testada justamente quando nada parece ir bem. Justamente nesse momento é que devemos trabalhar mais arduamente. O trabalho não é uma coisa que só fazemos quando nos sentimos bem. Aquilo que você consegue realizar quando está na pior condição é a medida da sua verdadeira capacidade.

Acumular vigor mental também exige esforço. Trata-se de uma aptidão que você pode aperfeiçoar à medida que trabalha para desenvolvê-la. As pessoas crescem através da disciplina de aumentar a carga que conseguem aguentar. Por isso, devemos encarar as difi culdades, os fracassos e os reveses como material necessário para nos fortalecer ainda mais. Quem nunca sofreu torna-se fraco como os galhos de um salgueiro. Para sermos fortes, nós não podemos ser nocauteados pelas difi culdades, devemos enfrentá-las e vencê-las.

Se assim agirmos, as forças mental e espiritual irão crescer dentro de nós. Quando tivermos adquirido certa quantidade de energia mental e espiritual, na próxima vez que enfrentarmos a mesma difi culdade, seremos capazes de superá-la facilmente.

Fim da palestra deste mês


Título original em Japonês: “hanseihou-kougi” | Copyright © Ryuho Okawa 1990
Tradução para o português © Happy Science 2010
Índice
Revista 194:
A Verdadeira Causa do Câncer
Revista 193:
Visita do Mestre à Índia e ao Nepal
Revista 192:
O Caminho para a Saúde Perfeita
Revista 191:
Como Cultivar a Prosperidade
Revista 190:
Ciclo de Palestras do Mestre no Brasil
Revista 189:
Os Métodos de Autoreflexão
Revista 188:
Provações e Independência da Criança
Revista 187:
Seja Infinitamente Amável
Revista 186:
A Maturidade Espiritual
Revista 185:
Sinta o Milagre
Revista 184:
O Caminho da Saúde Definitiva
Revista 183:
Enfrentando os Mares Turbulentos do Destino
Revista 182:
Atrair Novas Ideias & Aprender no Trabalho
Revista 181:
Encontrar a Felicidade na sua Família
Revista 180:
Viver Criativamente
Revista 179:
Utopia no Coração
Revista 178:
Adquirindo uma Consciência mais Elevada
Revista 177:
Os Estágios do Desenvolvimento do Amor
Revista 176:
O Caminho do Sucesso
Revista 175:
Enfrentando a Depressão
Revista 174:
Gestão Baseada no Tempo
Revista 173:
Viver para Amar
Parte 2
Revista 172:
Viver para Amar
Parte 1
Revista 163:
Como superar o Perfeccionismo
Revista 162:
Como vencer a doença
Revista - Maio de 1997
Sinalização para a Felicidade - Parte II
Revista - Abril de 1997
As Circunstâncias Espirituais de uma Guerra
Revista - Abril de 1997
Sinalização para a Felicidade - Parte I
Revista - Março de 1997
Como evitar espíritos obsessores
Revista - Março de 1997
O Prelúdio da Nova Era
Revista - Janeiro de 1997
O Correto Conhecimento do Mundo Espiritual
Revista - Janeiro de 1997
Um Dia, Uma Vida
   
Templo Happy Science
Rua Domingos de Morais, 1154 - Vila Mariana - SP
Tel: (11) 5088-3800
© Copyright 2009 ~ 2017
53 usuários online